terça-feira, 1 de agosto de 2017

Preso suspeito de matar cadeirante por briga do tráfico em Porto Alegre

Investigação comprovou que vítima foi morta por traficar drogas em área de inimigo.

Wesley Ferreira Rodrigues, o "Zinho", de 24 anos, foi o preso na operação Chacal - Foto: Polícia Civil

O assassinato do cadeirante Moacir Gonçalves Pires, 32 anos, ocorrido em janeiro na zona norte de Porto Alegre, foi elucidado pelo Departamento de Homicídios. Na manhã desta terça-feira (1º), a Polícia Civil realizou uma operação para capturar os dois suspeitos identificados pelo crime. Um deles foi encontrado e o outro está foragido.

Foi preso preventivamente Wesley Ferreira Rodrigues, o "Zinho", de 24 anos. Ele teria sido, conforme a polícia, um dos homens que derrubou a vítima da cadeira de rodas, dando cinco tiros. O nome do segundo envolvido não foi divulgado para não atrapalhar a investigação.

Para a polícia, está claro que o crime foi motivado pelo tráfico de drogas. O cadeirante seria vendedor de drogas, e supostamente circulava por diversas vilas da zona norte - o que irritou os desafetos.

— Ele estava circulando muito de uma vila para outra, na Vila Esperança, Vila Amazônia, Vila Santa Maria, e os desafetos já estavam prontos para matá-lo por isso — resume o delegado Cassiano Cabral, responsável pela investigação.

Os policiais identificaram, no inquérito, que os bandidos aproveitaram para executar o cadeirante no dia em que ele estava sem o funcionário que fazia sua segurança.

Na ação desta terça, foram cumpridos ainda quatro mandados de busca e apreensão. Porções de cocaína e maconha foram encontradas pela polícia.
A operação foi denominada "Chacal", já que este era o apelido da vítima.

ZERO HORA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.