quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Polícia Civil prende um dos envolvidos no homicídio de motorista de aplicativo de celular em Porto Alegre

Polícia Civil  esclarece homicídio do motorista de Uber

Polícia Civil esclarece homicídio do motorista de Uber - Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil, por meio da 4ª Delegacia de Homicídios e de Proteção à Pessoa (4ªDPHPP/DHPP), prendeu nessa terça-feira (01) um dos participantes do homicídio que vitimou o motorista privado de aplicativo de celular em Porto Alegre. O crime ocorreu na última quarta-feira (26/07) no Beco Pedro Rodrigues Bittencourt, bairro Vila Nova, Capital. A ação foi decorrente do cumprimento de mandado de prisão temporária. Um dos envolvidos segue foragido.

Segundo o delegado Eibert Moreira Neto, o motorista do aplicativo teria ido até o local em que ocorrereu os fatos, após receber uma ligação telefônica a fim de realizar um transporte informal de passageiros. "Temeroso do que poderia ocorrer, encaminhou um áudio alertando pessoas próximas de que estava em deslocamento para realizar esse trabalho, pedindo que tais pessoas ficassem em alerta, pois não confiava nesses clientes, que vieram a se tornar os seu algózes", relata o delegado. As testemunhas foram unânimes em apontar que as pessoas referidas no áudio se tratavam de dois irmãos, sendo que um está preso na Cadeia Pública de Porto Alegre.

O outro envolvido, que seria o suspeito de atirar na vítima, segue foragido. "Além disso, foi possível confirmar a veracidade da prova subjetiva (testemunhal), através de provas técnicas, que compõem o conjunto probatório incriminador", acrescenta Eibert.

Em razão das provas coletadas, a Polícia Civil representou pela prisão temporária dos envolvidos, medida cautelar que foi deferida. Na noite da última terça-feira (01) um dos envolvidos identificados foi preso. "O suspeito confirmou que o outro envolvido, seu irmão que segue foragido, seria o autor dos disparos", relatou Eibert.

O Diretor da Divisão de Homicídios, delegado Gabriel Oliveira Bicca, ressalta a importância da colaboração da sociedade a fim de possibilitar a prisão do foragido, para que responda pelo crime praticado. Por fim, louva os esforços da Especializada na elucidação breve do fato e a prisão de um dos suspeitos.

Fonte: 4ªDPHPP/DHPP

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.