terça-feira, 25 de julho de 2017

Polícia apaga pintura que fazia apologia ao tráfico no centro de Porto Alegre

Ação ocorreu depois de operação da Polícia Civil e da Brigada Militar ser deflagrada na Vila dos Papeleiros.

Foto: Cid Martins /Rádio Gaúcha

Após concluir ação com oito prisões na Vila dos Papeleiros, área central de Porto Alegre, na manhã desta terça-feira (25), Polícia Civil e Brigada Militar (BM) apagaram uma pintura que fazia apologia ao tráfico de drogas na parede de uma das casas abordadas. Além disso, a 17ª Delegacia instaurou inquérito para investigar quem foi o responsável por este ato que é considerado crime.

A pintura era do rosto de um traficante conhecido como "Gordo". O delegado Fernando Soares, responsável pela operação realizada hoje, disse que ele morreu no início do ano e era apontado por ser um dos principais líderes do tráfico na região. 

- A imagem era um exemplo negativo para a comunidade da região. Em uma das mãos, uma arma, na outra, um cigarro de maconha, além de joias representando ostentação e, pior, tentando mostrar que o crime compensa - ressaltou Soares.

A pintura, em uma parede com aproximadamente quatro metros de altura e oito metros de largura, foi apagada e foi necessário reforço policial para garantir o serviço. Além disso, Soares instaurou inquérito sobre apologia ao crime e pretende identificar os responsáveis por fazer o desenho na parede. Fato semelhante já ocorreu em Porto Alegre, quando pintura homenageava o traficante Alexandre Goulart Madeira, o Xandi, no condomínio Princesa Isabel. O desenho, feito em 2015 após a morte do responsável pelo tráfico na região, também foi apagado.

Esta é a segunda grande ação policial na Vila dos Papeleiros neste ano. Em maio, o Departamento de Investigações do Narcotráfico (Denarc) combateu o chamado consórcio de traficantes na localidade, quando criminosos se revezam por semana para vender entorpecentes.

Fonte: Zero Hora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.