terça-feira, 11 de julho de 2017

Disputa pelo tráfico e demonstração de força podem ter motivado chacina em Porto Alegre, diz polícia

No mínimo dez homens estão envolvidos no crime, aponta polícia












Testemunhas disseram homens chegaram atirando - Foto: Felipe Daroit /Rádio Gaúcha

Agentes da 3ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) já estão com imagens de câmeras de segurança de ruas próximas ao local onde ocorreu a chacina com quatros mortes no Bairro Sarandi, no fim da madrugada desta terça-feira (11). Os policiais identificaram alguns suspeitos.

De acordo com o delegado Cassiano Cabral, titular das investigações, no mínimo dez homens estão envolvidos no crime que aconteceu em um beco, ao lado da rua Francisco de Medeiro, na Vila Brasília.

Os homens chegaram em carros ao local. Alguns estariam usando roupas da Polícia Civil, segundo testemunhas. Eles foram até a casa onde estava as quatros vítimas e começaram a disparar centenas de tiros de fuzil e pistolas. Disparos continuaram sendo feitos na hora da fuga. Muitos deles, para o alto.

Um das principais linhas de investigação da polícia é de que o crime tenha sido motivado pelo tráfico de drogas e também tenha sido uma maneira de intimidação aos criminosos que atuam na região onde ocorreram as mortes, já que na última sexta-feira (7), o traficante mais forte do Sarandi e que mandava na venda de drogas no local da chacina, Alexandre Silva Souza, conhecido como Xandão, foi preso pela polícia em Arroio dos Ratos. Ele estava foragido havia três anos e foi indiciado por 14 homicídios.

"O Xandão comandava o tráfico nessa região. Com a prisão dele, acreditamos que essa gangue rival, foi até o local para acerto de contas e também para mostrar poder diante dos rivais", disse o delegado Cassiano Cabral.

Morreram Douglas da Conceição, 18 anos e Juliano Santos dos Reis, 17 anos. Nenhum com antecedentes criminais. Dênis Fabrício dos Santos, 22 anos, tinha passagens na polícia por porte de arma e tráfico e Jair dos Santos, 39 anos, histórico por roubo.

GAÚCHA






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.