sábado, 29 de julho de 2017

Criminosos explodem duas agências bancárias e fazem reféns em Gramado Xavier

Agências do Banrisul e Sicredi foram os alvos dos bandidos

Foto: Brigada Militar /Divulgação

Cinco estabelecimentos comerciais, incluindo duas agências bancárias, foram atacados por criminosos no início da madrugada deste sábado (29), em Gramado Xavier, no Vale do Rio Pardo. Enquanto utilizava explosivos para assaltar as agências do Banrisul e do Sicredi, uma lotérica, uma farmácia e uma loja de roupas, todas na principal via do município, a Avenida Santa Cruz, a quadrilha fez ao menos cinco moradores como reféns.

Segundo a Brigada Militar, quatro criminosos armados e vestindo toucas, roupas militares e coletes balísticos chegaram ao local em uma EcoSport cor prata por volta de 0h10min. Ao chegar perto dos estabelecimentos alvo, o bando rendeu um casal que estava em um veículo e o levou a pé até próximo das agências. Outras três pessoas que passaram pelo local no decorrer do assalto também foram rendidos. Os reféns foram mantidos na rua durante as explosões, como escudo humano.

A ação teria durado cerca de 40 minutos. Ao todo, foram arrombados quatro caixas eletrônicos, além dos cofres do Banrisul e da lotérica. Da loja e da farmácia, foram levadas quantias dos caixas. Ainda não se sabe o tamanho total do prejuízo. O ataque ocorreu a 500 metros da unidade da Brigada Militar no município.

Os assaltantes conseguiram fugir antes da chegada da polícia e seguiram pela RS-153 em direção ao município de Barros Cassal. Segundo informações da Brigada Militar, cerca de meia hora após o ataque, uma guarnição localizou o bando da localidade de Pontão dos Hoppe. Houve perseguição e troca de tiros. Ninguém ficou ferido, mas o grupo conseguiu fugir em direção à cidade de Lagoão. Mais tarde, por volta das 3h, a EcoSport foi encontrada abandonado em uma lavoura em Linha Três Léguas.

Ainda surpreso com uma ação tão ousada dos bandidos, o comandante da unidade da Brigada Militar, soldado Ancelmo de Fraga, lamenta que não havia policiamento no momento do ataque.

— Fazia 20 minutos que a Patrulha do Interior havia saído da cidade. Ficou só o plantão, com um policial na unidade, que teve de esperar a volta da outra viatura para sair atrás dos bandidos — afirma o comandante.

Os efetivos da Brigada Militar de cidades vizinhas ajudam nas buscas. Casas da região estão sendo vistoriadas pelos PMs. Até as 7h deste sábado, ninguém havia sido preso.

ZERO HORA E GAÚCHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.