quarta-feira, 5 de julho de 2017

Com superlotação, presos ficam algemados em viaturas em Porto Alegre

Na manhã deste sábado (1), havia 26 homens em viaturas da Brigada Militar e da Força Nacional, no pátio do Instituto Penal Pio Buck. Alguns ficaram dentro dos veículos ou no porta-malas; outros foram algemados ao cinto de segurança.

A custódia de presos tirou viaturas e policiais militares das ruas de Porto Alegre, mais uma vez. Com a superlotação do Instituto Penal Pio Buck e de outras unidades prisionais do estado, detentos provisórios foram colocados em veículos da Brigada Militar e da Força Nacional neste sábado (1).

Eles aguardam transferência. Segundo a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), os homens serão remanejados conforme abrirem novas vagas em presídios.

Presos ficam dentro de porta-malas de viatura, em Porto Alegre (Foto: Brigada Militar/Divulgação)Presos ficam dentro de porta-malas de viatura, em Porto Alegre (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Presos ficam dentro de porta-malas de viatura, em Porto Alegre (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Pela manhã, havia 26 presos em 11 viaturas da Brigada Militar e em duas da Força Nacional. Os carros ficaram estacionados no pátio do albergue. Ao todo, 30 agentes monitoravam o local.

A situação é recorrente, devido à superlotação do sistema carcerário. Atualmente, uma sala do albergue penal estava sendo usada para receber presos provisórios desde que o ônibus-cela, o Trovão Azul, foi desativado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). A unidade tem capacidade para receber 45 pessoas e já está cheia.

Com isso, as viaturas foram obrigadas a permanecer no pátio para fazer a custódia dos presos. Alguns ficaram dentro dos veículos ou no porta-malas. Outros, por falta de espaço, estão do lado de fora, algemados ao cinto de segurança.

Preso é algemado ao cinto de segurança da viatura (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Preso é algemado ao cinto de segurança da viatura (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

O Insituto Pio Buck fica ao lado da Cadeia Pública, novo nome do Presídio Central, na Zona Leste da capital.

Por nota, a Susepe disse que a situação será resolvida conforme abrirem novas vagas. Ainda de acordo com a Susepe, a prioridade de transferência será dada aos homens que estão nas viaturas.

Leia o comunicado:

"A Susepe já encaminhou nove detidos ao sistema prisional, e até à noite mais sete deverão ir. Os demais sairão à medida em que surgirem vagas. Os das viaturas têm prioridade. A capacidade do Pio Buck é de 45 presos e já está no teto".

Situação é recorrente, devido à superlotação dos presídios no estado (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Situação é recorrente, devido à superlotação dos presídios no estado (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Fonte: G1/RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.