segunda-feira, 3 de julho de 2017

Com delegacias e albergue lotados, dez viaturas seguem custodiando presos na Capital

Presos foram algemados no cinto de segurança de viaturas.

Preso foi algemado ao cinto de segurança para ganhar mobilidade

Foto: Brigada Militar /divulgação

A superlotação das carceragens das delegacias de polícia da Região Metropolitana e a lotação máxima do Centro de Triagem e do Albergue Padre Pio Buck, em Porto Alegre, deixam dez viaturas da Brigada Militar deslocadas do policiamento ostensivo para abrigar presos na Capital, na tarde desta segunda-feira (3).

Apresentado como solução após a Secretaria de Segurança Pública (SSP) desativar o ônibus-cela "Trovão Azul", o Instituto Penal Pio Buck pode abrigar, no máximo, 45 presos. Como esse número foi atingido, o pátio do instituto abriga as dez viaturas que custodiam cerca de 15 presos.

No domingo (2), os presos foram algemados no cinto de segurança dos carros, para ganhar mobilidade.

Apesar da liberação de 22 vagas em presídios desde sábado (1º), novas prisões impossibilitam a normalização da situação. Além disso, nas delegacias de polícia da Região Metropolitana, a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) contabiliza 203 presos provisórios.

Já o Centro de Triagem opera com a capacidade máxima de 72 presos. A Susepe afirma que as transferências ocorrem assim que novas vagas são abertas.

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.