quinta-feira, 20 de julho de 2017

Brigada Militar forma 398 soldados em Porto Alegre

Turma deve atuar nas ruas a partir de segunda-feira.

Foto: Marcelo Kervalt /Agência RBS

Mais 398 policiais juraram lealdade ao serviço militar durante formatura realizada na manhã desta quinta-feira (20), no Ginásio Gigantinho, em Porto Alegre. Somando aos concursados que se formaram na quarta-feira em Tramandaí e aos que repetirão a cerimônia na sexta-feira, em Porto Alegre, o Rio Grande do Sul passará a contar, já a partir de segunda-feira, com 1.018 novos policiais. Em fevereiro de 2018, outros 500 soldados concluirão o curso. As informações são de Zero Hora.

Antes de ganhar às ruas, os recém-formados irão se reunir para indicar onde gostariam de atuar. A maior parte ficará em Porto Alegre e na Região Metropolitana, no entanto, municípios do Vale do Sinos e da Serra, como Caxias do Sul, por exemplo, devem ser contemplados devido aos índices de violência. A soldado Patrícia Silveira, de 25 anos, irá tentar uma vaga no Vale do Sinos, já que mora em Dois Irmãos. Ansiosa, a ex-vendedora não vê a hora de colocar em prática o que aprendeu nos oito meses de curso:

— Estou bem preparada. Quero ir para as ruas. Acho que não iria gostar de ficar em um local fechado — disse a nova brigadiana, que passou por 1.605 horas de curso.

O governador do Estado, José Ivo Sartori, voltou a falar sobre o edital do novo concurso voltado à segurança pública a ser lançado nos próximos 45 dias. A promessa do governo é que sejam abertas mais 4,3 mil vagas para a Brigada Militar, e a expectativa da corporação é de que até o fim do primeiro semestre de 2018 esse contingente passe a atuar e ajude a diminuir o déficit de aproximadamente 50% de efetivo.

— No ano em que a Brigada Militar vai completar 180 anos, estamos concretizando mais uma conquista de toda a sociedade gaúcha — disse Sartori.

Paraninfo da turma que se formou nesta quinta-feira, o secretário da Segurança Pública, Cezar Schirmer, argumentou que o atual governo será lembrado por ser o que mais fez na área nos últimos 20 anos. Também discursou o comandante-geral da corporação, coronel Andreis Dal'Lago:

— É público que a BM tem encolhido nos últimos anos. E isso acontece porque ingressam menos PMs do que saem a cada ano. Porém, neste momento, estamos dando o primeiro passo para o completamento real do efetivo. No médio prazo, se não chegarmos aos 37.050 (previsto em lei), chegaremos próximo disso — garantiu o oficial.

Em 2016, a corporação registrou 1.987 aposentadorias de PMs (10% do total em atividade). Equivalente a 5,4 desligamentos por dia, o número triplicou em comparação com 2010 (697) e superou o recorde de 2015 (1.888).

ZERO HORA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.