quarta-feira, 21 de junho de 2017

Secretaria da Segurança apresenta 522 futuros PMs e bombeiros que atuarão no Estado

Ao todo, 421 se formarão para a Brigada Militar e 102 no Corpo de Bombeiros.

Foto: André Ávila /Agencia RBS

Para conter o déficit cada vez maior no efetivo da Brigada Militar, a corporação apresentou, nesta quarta-feira (21), 522 alunos-soldado, na Academia de Polícia Militar. Serão 421 policiais e 101 bombeiros que estarão formados após sete meses de curso, que se inicia nesta quinta-feira.

Antes mesmo da formatura, prevista para fevereiro, os alunos já poderão atuar nas ruas em estágios operacionais. As aulas serão divididas entre escolas de formação de Porto Alegre, Guaíba e Santa Maria.

Além deles, juntam-se ao efetivo da Brigada Militar 1.060 soldados que terminam a formação no mês de julho. O Comando-Geral ainda não definiu quantos serão direcionais para cada cidade, mas afirma que serão priorizados 21 municípios do eixo Porto Alegre — Caxias do Sul.

Apesar do acréscimo de quase 1.600 militares até o ano que vem, o número não vai suprir a necessidade de policiamento. Atualmente, são cerca de 20 mil PMs, quando o mínimo necessário seria de 37 mil.

— Esses que estão chegando agora, é um reforço importante, mas não podemos esquecer também que a nossa defasagem nossa grande — lamenta o comandante-geral, coronel Andreis Dal'Lago.

Em 2017, 2 mil policiais completam 30 anos de serviço e estão aptos a aposentadoria. Metade já encaminhou os pedidos até o mês de abril. Em 2015 e 2016, quase quatro mil PMs foram para a reserva.

— A média de ingresso anual é inferior à media de saída, por isso a gente está encolhendo — acrescenta Dal Lago.

Apesar do parcelamento de salários e o momento crítico da segurança no Estado — com necessidade de auxílio de agentes da Força Nacional e PMs do Interior para combater a violência na Região Metropolitana—, os alunos-soldado estão com energia renovada para atuar nas ruas.

Sandro Fernandes de Melo, 28 anos, está convicto da decisão, após atuar três anos como policial temporário.

— Sabendo das necessidades do Estado e também da dificuldade que é este trabalho, estou preparado, estou empenhado até com o risco da própria vida — afirma.

Já Jéssyca Machado, 27, conta que sempre teve o sonho de ser PM, principalmente por influência da família.

"Tenho um tio que é da área militar e um primo que é da Brigada. Mas da minha família, mulher, sou a primeira", comemora.

Futuro concurso

Com o chamado dos 522 alunos, não há mais concursados aprovados para serem chamados. No entanto, um novo certame está condicionado a aprovação de projetos que modificam a carreira policial na Assembleia Legislativa.

— Aprovados esses projetos na Assembleia, temos a perspectiva de um concurso para a segurança pública. Precisamos alterar algumas regras, para ter nosso policial cada vez mais tempo no serviço ativo — explica o secretário-adjunto de segurança pública, Everton Oltramari.

Ainda não há uma previsão por parte da SSP de quantas vagas seriam abertas no próximo concurso.

gg

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.