terça-feira, 20 de junho de 2017

Polícia investiga se cinco homens baleados em Porto Alegre foram atacados aleatoriamente

Atiradores gritavam nome de facção enquanto atiravam.

O Departamento de Homicídios investiga se os cinco feridos em um ataque a tirosocorrido na noite de segunda-feira (19) na Vila Maria da Conceição, na zona leste de Porto Alegre, eram os alvos iniciais dos bandidos ou se foram escolhidos apenas por estarem na rua. Entre os cinco baleados, um deles é cadeirante outro é um adolescente.

Dos feridos, somente um deles tem antecedentes considerados graves, e são crimes ocorridos há quatro anos. Os demais não tem registros policiais. Eles informaram os investigadores que estavam indo a um mercado quando o bando agiu.

"Eventualmente elas (vítimas) podem não estar relacionadas ao crime. Já aconteceu em duas oportunidades recentes de membros de facções rivais atirarem a esmo na rua, independente se quem está em via pública é trabalhador ou não", comenta o delegado Rodrigo Reis.

A forma do crime deixa claro para a investigação de que o ocorrido foi mais um episódio de uma guerra entre grupos rivais de Porto Alegre que tentam dominar pontos de venda de drogas. Os atiradores que abriram fogo gritavam que pertenciam a uma facção criminosa ligada ao tráfico.

Por volta das 19h, quatro criminosos desceram de um Gol escuro na Rua Pedro Velho e atiraram contra as vítimas com pistolas 9 milímetros e 380. A Polícia Civil fala que foram "diversos disparos", e a Brigada Militar contou ao menos 30. Depois do tiroteio, os bandidos voltaram rapidamente ao carro e fugiram da região.

Três feridos foram levados ao Hospital de Pronto Socorro e outros dois para o Cristo Redentor. Eles permaneciam internados até a manhã dessa terça.

Ao longo desta terça, os agentes vão tomar depoimentos e fazer diligências para tentar identificar os autores.

GAÚCHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.