quinta-feira, 22 de junho de 2017

Polícia investiga desaparecimento de jovem de 20 anos em Cachoeirinha

Nicolle Brito da Silva mora com o pai no bairro Vale do Sol e não é vista desde o dia 2 de junho.

Nicolle Brito Silva, de 20 anos, desapareceu em Cachoeirinha no dia 2 de junho - Foto: Reprodução /Facebook

Familiares, amigos e a polícia buscam por pistas que possam levar ao paradeiro de Nicolle Brito Castilho da Silva, de 20 anos, em Cachoeirinha. Ela desapareceu na noite do dia 2 de junho, quando estava em casa, no bairro Vale do Sol.

A jovem morava com o pai, que saiu pouco depois das 20h para comprar um lanche para os dois. Na volta, a filha havia desaparecido. Segundo ele, a casa não apresentava sinais de arrombamento.

Nicolle residia com o pai há cerca de quatro meses, depois de voltar de São Paulo, onde morava com uma amiga e trabalhava como promotora de eventos, shows e modelo. Antes de São Paulo, Nicolle havia passado a adolescência sob guarda da mãe em Miami, nos Estados Unidos.

– Duvido que ela tivesse inimigos, ela era bastante inocente. Em Cachoeirinha, não possuía amigos pois eu tinha me mudado em janeiro – relata o pai, o gerente de projetos Sidnei Castilho da Silva, 48 anos.

Sidnei estranhou o fato de que a filha poderia ter ido a alguma festa, mas, vaidosa, não tivesse levado o kit de maquiagem e documentos. O celular não foi encontrado em casa e está desligado. Até o momento, não houve nenhum contato.

A Polícia Civil de Cachoeirinha trabalha com a hipótese de relação do caso com um duplo homicídio ocorrido em Gravataí um dia antes do desaparecimento de Nicolle. Ricardo Correa Sobrinho, de 26 anos, e Paola dos Santos, de 21 anos, foram mortos dentro de casa, no bairro Rincão da Madalena. Paola e Nicolle eram amigas.

– Muito provável que possa ter havido uma queima de arquivo ou que Nicolle esteja sendo mantida sob cárcere privado – avalia o delegado Leonel Baldasso.

Sidnei diz que não conhecia a amiga da filha. Segundo ele, Nicolle apenas relatou que estava bastante triste pela perda da amiga, mas não deu maiores detalhes. A Polícia Civil pede para quem tiver informações que ligue para o (51) 3470-1122 ou 197.

GAÚCHA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.