terça-feira, 9 de maio de 2017

Quadrilha que explodiu bancos no RS é investigada por mais cinco ataques semelhantes

Ataques realizados nesta madrugada em Espumoso têm semelhanças a outros ocorridos no interior gaúcho.

Foto: Reprodução /twitter/@Viko_Kuhn

A Delegacia de Roubos do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) acredita que a mesma quadrilha que atacou na madrugada desta terça-feira (9) dois bancos em Espumoso, no Alto do Jacuí, norte gaúcho, é a mesma investigada por outros cinco assaltos no interior do estado. A forma de agir sempre é a mesma, após a meia-noite, em média de cinco a seis bandidos armados, ações em cidades pequenas, uso de explosivos e às vezes até com pessoas reféns. 

Em Espumoso, foram explodidas as agências do Banrisul, que teve três terminais destruídos, sendo dois com dinheiro, e do Sicredi, que teve apenas a fachada atingida. Não foi levado dinheiro desta última agência. Este mesmo grupo criminoso é investigado por agir em assaltos semelhantes nas cidades de Boqueirão do Leão, Progresso, Pouso Novo, Cerro Grande e São Sepé. 

O delegado João Paulo de Abreu, do Deic, divulgou nomes e fotos de alguns suspeitos investigados, todos foragidos e com prisão preventiva decretada.

No caso de Espumoso, Ivan Francisco dos Santos é suspeito de ter participado do ataque com explosivos. Ele é investigado também nos casos de Cerro Grande e São Sepé. 

A polícia também divulgou as fotos e os nomes de outros envolvidos em assaltos semelhantes ocorridos em Campestre da Serra: Deyvid Possa, Diego Alexandre de Menezes Rios e Henrique de Azevedo de Andrade. 

"Todos são procurados por assaltos a bancos e nos casos em que estamos referindo agora, eles são suspeitos", ressalta o delegado Abreu. 

Denúncias podem ser feitas de forma anônima pelo telefone 0800 510 2828

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.