terça-feira, 9 de maio de 2017

Laudo pericial revela que PM da reserva em Viamão foi assassinado

Ele foi morto com um tiro na boca

O laudo do Instituto Geral de Perícias confirmou que o policial militar da reserva Luiz Alberto Fialho Koboldt, 57 anos, foi assassinado com um tiro na boca, no dia 4 deste mês em Viamão. O tiro disparado pelo criminoso ficou alojado na boca da vítima, impedindo que a Polícia Civil tivesse a confirmação de que se tratava de um homicídio, e levando a uma desconfiança inicial de morte natural.

Com isso, a Delegacia de Homicídios  reforçou a investigação. O inquérito instaurado pela delegada Larissa Fajardo tem duas suspeitas iniciais. A primeira é de um latrocínio - roubo com morte, já que ele havia relatado que tinha dinheiro guardado para comprar um terreno na região. A outra é de uma vingança de uma quadrilha do tráfico de drogas que tem a base perto da casa onde ele morava, no bairro Viamar. 

Se confirmado o latrocínio, os primeiros suspeitos podem ser pessoas da relação do PM, que estariam pedindo a ele por dinheiro. 

Inicialmente, a Polícia Civil havia informado que vizinhos relataram a invasão de um grupo de quatro a cinco homens na residência minutos antes. No entanto, somente uma testemunha foi identificada, o que atrapalha as provas testemunhais. É uma menina de 7 anos, que fica assustada quando fala sobre o ocorrido. 

A polícia segue procurando por pistas que possam ajudar a elucidar o caso. 

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.