segunda-feira, 10 de abril de 2017

Morre taxista esfaqueado em assalto na zona sul de Porto Alegre

Rogério Reolon Martins, 38 anos, passou 12 dias internado no HPS

Carro foi encontrado ligado em estrada da zona sul de Porto Alegre - Foto: Brigada Militar

Morreu no final da noite desse domingo (9) o taxista esfaqueado em 29 de março no bairro Belém Velho, na zona sul de Porto Alegre. Rogério Reolon Martins, 38 anos, passou 12 dias internado no Hospital de Pronto Socorro.

De acordo com a Polícia Civil, o taxista foi atingido mais de uma vez no pescoço. Ele foi encontrado dentro do táxi Siena por um casal que caminhava na Estrada Antônio Borges, e desconfiou do carro, que estava ligado e parado na via. Ao se aproximarem, as testemunhas perceberam o crime e chamaram o Samu.

Dentro do veículo, a perícia encontrou três celulares, mas deu falta da carteira e do dinheiro. Além disso, havia uma faca, que não tinha marcas de sangue. O objeto pode ter sido usado em uma tentativa de reação da vítima a um assalto.

O caso é tratado como latrocínio - roubo seguido de morte. Este é o 10º latrocínio do ano na Capital gaúcha, segundo balanço dos veículos do Grupo RBS.

O velório de Martins ocorre hoje, a partir das 8h30, na Capela G do Cemitério Jardim da Paz. O sepultamento está marcado para as 15h. Colegas de profissão preparam protestos para o dia de hoje.

Investigação
O delegado Juliano Ferreira afirma que dois homens que embarcaram no táxi no ponto do Postão da Cruzeiro são os autores do assassinato. No crime, eles desferiram ao menos sete facadas na vítima - três no pescoço e quatro no abdômen. Mesmo com o número de golpes, o delegado tem quase certeza de que foi um assalto que não deu certo.

"O taxista não tinha nenhum antecedente. Familiares ouvidos pela investigação não apontaram nenhum possível motivo para uma execução. Além disso, o perfil da vítima reforça essa possibilidade de roubo", relata o policial.
Imagens que mostram os suspeitos serão divulgadas ao longo do dia, para que alguma denúncia possa ajudar elucidar o crime. 

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.