quarta-feira, 19 de abril de 2017

Adolescente é indiciado por morte de juiz do trabalho em Porto Alegre

Infrator de 17 anos foi indiciado por homicídio duplamente qualificado.

Juiz foi morto no bairro Aberta dos Morros, na zona sul de Porto Alegre - Foto: Cid Martins /Gaúcha

O adolescente de 17 anos que confessou ter matado o juiz do trabalho Cláudio Roberto Ost, de 50 anos, na zona sul de Porto Alegre, foi indiciado pelo ato infracional de homicídio duplamente qualificado. Ele está internado provisoriamente na Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase). O crime ocorreu no último sábado (15) no bairro Aberta dos Morros.

Conforme o delegado Christian Nedel, as qualificadoras do crime são a ação por motivo fútil e com recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Segundo a apuração da polícia, o adolescente agiu porque não aceitava o fim do relacionamento com a atual namorada do juiz, Marla Souza. O adolescente foi até a casa dela, onde estava o juiz acompanhado do filho. Ost foi atingido por cinco disparos de arma de fogo em frente ao filho de nove anos.

O infrator agiu sozinho, conforme a investigação. O Procedimento de Apuração de Ato Infracional, semelhante ao inquérito quando envolve adultos, foi concluído nesta terça-feira (19). Agora, o período de internação do adolescente depende de análise judicial. O prazo máximo previsto pelo Estatuto da Criança e do Adolescente é de três anos de internação na Fase. 

Nesta terça, o adolescente prestou depoimento à Justiça, acompanhado da mãe. A internação provisória dele na Fase foi mantida por 45 dias. Depois deste período, se o juiz não julgar o processo, o adolescente será colocado em liberdade.  

O crime
O adolescente foi até a casa da ex-namorada, no bairro Aberta dos Morros, onde estava o juiz acompanhado do filho. Eles tinham retornado de uma viagem na noite de sexta-feira. No sábado pela manhã, quando ocorreu o homicídio, os dois iriam para a cidade de Santo Cristo, Noroeste gaúcho, onde passariam a Páscoa com familiares. O sepultamento ocorreu no domingo no município.

O juiz conheceu a namorada há dois meses em Soledade. A vítima deixou dois filhos, um de 9 e outro de 28 anos.

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.