segunda-feira, 20 de março de 2017

"Os policiais estavam fazendo o serviço deles", diz jovem preso por engano na Capital

"Tinham um suspeito, era parecido, a testemunha confirmou.. então era eu", relatou o estudante após ser liberado.

Verdadeiro suspeito foi detido nesta segunda-feira em Eldorado do Sul - Foto: Ronaldo Bernardi /Agencia RB

O universitário preso por engano no caso do latrocínio de Gabryel Delgado, ocorrido em Porto Alegre, conversou com a Rádio Gaúcha após ser liberado nesta segunda-feira (20). Jonas Ramos da Luz permaneceu preso por 24 horas na 3ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA). 

Ele foi confundido com o homem do retrato-falado divulgado pela polícia. O mandado de prisão foi pedido após uma denúncia-anônima e do reconhecimento por parte da testemunha do crime. Antes mesmo de ser preso, Jonas reparou que tinha semelhanças com a imagem.

"Eu achei bastante parecido (com o retrato-falado), só não tinha o alargador que tenho na orelha esquerda e não tinha barba, né. Eu tenho a barba bem grande", relatou. 

De acordo com o jovem, a Polícia Civil chegou na casa dele por volta das 7h de domingo (19) e o conduziu até a 4ª Delegacia de Polícia, que investiga o caso. Lá, ele prestou depoimento e foi levado para a carceragem. Apesar de se sentir injustiçado, disse não ter raiva. 

"Eu não estava com raiva, porque eles (policiais) estavam fazendo o serviço deles. Tinham um suspeito, era parecido, a testemunha confirmou.. então, era eu", disse. 

Ele também não pretende processar o Estado e quer tentar esquecer toda a situação. Só lamenta o fato de a foto dele circular nas redes sociais como sendo de um assassino e teme que possa ter a carreira prejudicada. O universitário está concluindo o curso de Educação Física e já trabalha na área. 

Suspeito confessou crime

O homem suspeito de matar o universitário foi preso nesta manhã, em Eldorado do Sul. Ele estava chegando em uma casa com um carro clonado e foi abordado pela Brigada Militar. De acordo com a Polícia Civil, Flávio William Oliveira da Silva, 20 anos, confessou o crime e disse que o outro suspeito preso não tinha nenhum envolvimento. 

Prisão temporária permitiu prisão de universitário

Segundo o delegado regional de Porto Alegre Eduardo Hartz, em um primeiro momento, a testemunha reconheceu Jonas como sendo o autor do crime por meio de uma foto. A partir do reconhecimento, um mandado de prisão temporária foi expedido pelo juiz de plantão na noite de sexta-feira.

O jovem foi preso em casa por volta de 6h de domingo. O nome dele teria sido apontado à Polícia Civil por meio de uma denúncia, após divulgação do retrato falado.

Porém, na manhã desta segunda-feira, a testemunha do crime fez o reconhecimento pessoalmente. Foi quando se deu conta de que o real autor do crime era o segundo suspeito preso pela manhã e não o universitário que anteriormente havia reconhecido por foto.

"Está absolutamente descartada a participação dele (jovem universitário) neste crime", declarou o delegado regional. 

O crime

Gabryel Machado Delgado, de 20 anos, voltava da aula, no Centro da cidade, quando foi abordado por um criminoso junto ao prédio onde morava. Ele estudava Marketing na Fadergs. Ele também havia servido no Exército, inclusive junto com o primeiro suspeito preso por engano. 

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.