sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Mais de 110 presos aguardam vagas em presídios em delegacias da Grande Porto Alegre

Além das DPPAs, sede do DEIC também abriga detidos nesta sexta-feira (3)

DPPA de Canoas segue abrigando presos que aguardam vagas no sistema prisional - Foto: Paulo Ledur /Agência RBS

Delegacias de Pronto Atendimento de municípios da Região Metropolitana estão abrigando 116 presos, nesta sexta-feira (3), devido à falta de vagas em presídios no Rio Grande do Sul. Os detidos são custodiados na 2ª e na 3ª DPPA, em Porto Alegre, e em Canoas, Gravataí, Viamão, Alvorada, São Leopoldo e Novo Hamburgo. Além disso, 11 presos também aguardam vagas no sistema prisional na sede do Departamento Estadual de Investigações Criminais (DEIC), na Zona Norte da Capital.

Segundo o Diretor Metropolitano da Polícia Civil, delegado Fábio Motta Lopes, a situação na delegacia de Canoas está sob controle, após apresentar uma das situações mais críticas nesta semana em relação à custódia de presos. Na terça-feira (31), dois homens passarem a noite algemados ao corrimão da rampa de acesso ao local, dormindo na calçada do lado de fora do prédio da delegacia de plantão.

“Algumas vagas foram disponibilizadas durante a madrugada e agora a situação de Canoas está sob controle. No fim do ano passado, nós tínhamos em média 80 presos em delegacias da região metropolitana. Agora, no começo do ano, temos sempre, em média, 100 presos diários aguardando vagas”, disse o delegado.

De acordo com a Susepe, os presos estão sendo transferidos à medida que surgem vagas no sistema prisional.

Centros de triagem

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública, o primeiro centro de triagem será inaugurado até o dia 20 de fevereiro, em Porto Alegre. Em novembro de 2016, o Governo do Estado anunciou a construção de cinco unidades para abrigar presos provisórios, na tentativa de resolver a situação das custódias em delegacias.

Localizado na Rua Salvador França, na Zona Leste da Capital, o centro de triagem irá ocupar uma estrutura que, antigamente, abrigava apenadas do regime semiaberto. O local está sendo reformado pelo Exército Brasileiro. A unidade terá capacidade para 84 detentos e será administrada pela Susepe.

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.