quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Laudo pericial sobre morte de procurador será concluído em 15 dias

Procurador Pedro Antonio Roso foi encontrado morto em cela da PF

Foto: Reprodução /Reprodução

O Instituo Geral de Perícias (IGP) trabalha com prioridade no caso sobre a morte do procurador da República Pedro Antonio Roso, 52 anos. O corpo dele foi encontrado nesta terça-feira (1º) em uma cela da Polícia Federal (PF) em Porto Alegre. Os laudos periciais devem ser concluídos em até 15 dias. Com isso, a PF poderá concluir o inquérito instaurado ontem mesmo. 

De acordo com a investigação, Roso estava na carceragem há cerca de dois meses por ser suspeito de estuprar uma mulher. Este fato está sendo investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) e está em segredo de Justiça, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região. A defesa alega que o procurador teve um surto psicótico e sofre com problemas psiquiátricos. 

Sobre a morte de Roso, a PF não repassa mais detalhes porque aguarda justamente pelos laudos periciais. Apenas informou que ele estava sozinho na cela e que a principal hipótese é de suicídio. No entanto, todas as circunstâncias da morte estão sendo apuradas. O procurador atuava no MPF de Canoas e estava preso de forma preventiva por estupro e por tentar sufocar a vítima no dai 26 de agosto deste ano. O Registro foi feito na Delegacia da Mulher da Capital.   

O sepultamento será nesta quarta-feira (2) às 15h no Cemitério Municipal de Vila Maria, no norte do Rio Grande do Sul. 

Fonte: Guaíba

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.