terça-feira, 8 de novembro de 2016

Após incêndio, 32 detentos do presídio de Guaporé vão para regime domiciliar

Estrutura do prédio anexo onde presos ficavam foi danificada na semana passada.

Há uma semana, o prédio anexo onde ficavam presos do regime semiaberto e aberto no presídio de Guaporé teve a estrutura afetada por um incêndio. O espaço teve de ser interditado e, por isso, 32 detentos ganharam o direito à prisão domiciliar. Foram priorizados presos com bom comportamento e que trabalham. Eles não podem sair de casa exceto para trabalhar e ir ao médico e, semanalmente, têm de se apresentar no presídio. Os outros 11 detentos que ocupavam o anexo foram realocados em outra cela. 

Segundo a administradora do presídio, Marisete Michellon, a ideia inicial era fazer a transferência para outros presídios, mas não há disponibilidade de vagas. A recuperação do prédio também não tem prazos para ocorrer já que verbas ainda não foram garantidas à administração. Para a quarta-feira, está prevista uma visita das equipes de engenharia da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe). 

Com a interdição, o presídio tem capacidade para 54 detentos. Atualmente, abriga 115. Conforme Marisete, o aumento da população carcerária tem sido constante porque há destinação de presos de outras cidades para Guaporé. Isso vem ocorrendo desde janeiro. Na última semana, chegaram pelo menos seis novos detentos apesar da diminuição de espaços.

Fonte: Gaúcha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário. A livre expressão é um direito de todos desde que não haja ofensa,caso contrário será removido.